sábado, 23 de abril de 2011 0 comentários

Recados para Orkut



domingo, 10 de abril de 2011 0 comentários

A Carta

Erasmo Carlos
Composição: Benil Santos e Raul Sampaio

Escrevo-te
Estas mal traçadas linhas
Meu amor!
Porque veio a saudade
Visitar meu coração
Espero que desculpes
Os meus errinhos por favor
Nas frases desta carta
Que é uma prova de afeição...
Talvez tu não a leias
Mas quem sabe até darás
Resposta imediata
Me chamando de "Meu Bem"
Porém o que me importa
É confessar-te uma vez mais
Não sei amar na vida
Mais ninguém...
Tanto tempo faz
Que li no teu olhar
A vida cor-de-rosa
Que eu sonhava
E guardo a impressão
De que já vi passar
Um ano sem te ver
Um ano sem te amar...
Ao me apaixonar
Por ti não reparei
Que tu tivestes
Só entusiasmo
E para terminar
Amor assinarei
Do sempre, sempre teu...
Tanto tempo faz
Que li no teu olhar
A vida cor-de-rosa
Que eu sonhava
E guardo a impressão
De que já vi passar
Um ano sem te ver
Um ano sem te amar...
Ao me apaixonar
Por ti não reparei
Que tu tivestes
Só entusiasmo
E para terminar
Amor assinarei
Do sempre, sempre teu...
Escrevo-te
Estas mal traçadas linhas
Porque veio saudade
Visitar meu coração...(2x)
Escrevo-te
Estas mal traçadas linhas
Espero que desculpe
Os meu erros, por favor
Oh! Oh!
Meu amor, meu amor!
Oh! Oh! Oh! Oh!

0 comentários

Coração

Autor:-Desconhecido

Ai, coração.....

E agora, o que faço?

Você bate tão de mansinho, quase não o ouço....

Tão baixinho, tão escondido, não te sinto....

Estou de volta a minha solidão

Ela sorri e me abraça.

É tão frio seu abraço, tão vazio

E tão cheio de nada....

Chove, coração...

Esta ouvindo?

Até parece que a natureza adivinha...

Ela é sabia, pois traduz

O que estou sentindo,

Pois as lágrimas que verti por dentro,

Estão lá fora, inundando o mundo.

De repente, quem sabe,

A chuva que agora ouço,

Pode servir de cobertor

Aos solitários,

Aos sem ninguém

E que, por terem a solidão como companheira

E não terem ninguém com quem compartilhar-se

Sentem mais que muita gente

Sentem mais profundamente.

E agora, coração?

Quem vai ouvir o meu grito?

E entender o meu pranto?

Não existe mais o acalanto,

Não existe mais o aconchego

Não existe mais o ombro amigo.

E agora, coração?

O que faço?

Sou forte,

Mas também,

Sou criança.

Fonte: http://www.amorepaixao.com.br/

 
;