domingo, 6 de dezembro de 2009




O amor é nada ?



Se eu não te amasse tanto assim,
A noite cairia fácil em meu viver.
E sempre que a luz se apaga
Nunca apaga o meu sofrer.

Desejos de toda noite
Encontrar o seu olhar,
Me fazem fingir que esqueço,
Mas deixo,
Nada posso mudar.

Desejos de toda noite
Esgotar a solidão,
Me abraçam a travesseiros.
Mortas plumas no colchão!

E finjo que não te vejo,
Na tela da minha vida
Mas no teatro que insiste em sufocar a agonia
E encobrir a minha dor,
Nada podem ,nada valem
Diante de tanto amor.

Tanto amor que achava,
Em mim pra sempre escondido
Pensando que encontrava,
Era um amor dividido.

E não dividi sentimentos
Que na vida nada valem,
Tampouco concorri com carinho
Com apreço ou atenção.

Do que vale apenas isto
Além de desejo e esperança
Se no fim o que se conta
É nada mais , que segurança?
Fim do poema.

Autor:Cládison Claudiano

FONTE: http://www.poemas-de-amor.net/


0 comentários:

 
;