domingo, 19 de abril de 2009

POEIRA DA SAUDADE

Mais um poeta do Recanto das letras


TEMPO QUE NÃO PASSOU


Ah! tempo que já passou

Mas não me deixou passar.

Tempo sempre volta

Trazendo em sua escolta

Louca vontade de amar.


Amar! Que estranha ironia

Que tamanha nostalgia,

Volta sempre a me tocar.


Toco pra longe as lembranças,

Mas estas são como as tranças

Do meu amor a bailar.


Ah! seu tempo maldoso,

És um carrasco sagaz.

Tens sempre um jeito manhoso,

De tirar a minha paz.

Vejo que neste gozo

Nada te satisfaz.


Mais afasto a lembrança,

Mais a saudade apruma.

A roda do tempo roda?

Roda coisa nenhuma!


Se o tempo roda, por que,

Ela não roda também,

E em suas asas, e vem,

Como as ondas do mar?


Sou eu que rodo, num giro

E que num longo suspiro,

Nunca a deixei de amar!


Sharik Letak
Publicado no Recanto das Letras em 19/04/2009
Código do texto: T1547191

0 comentários:

 
;