domingo, 29 de março de 2009

POEIRA DA SAUDADE ( Rimas da Saudade )



RIMAS DA SAUDADE

Foram rimas que só serviram para lembrar,
foram versos jogados fora, jogados no ar,
são restos de um poema que não foi terminado.

Frases que só trouxeram triste lembrança,
texto, onde não entrou a palavra esperança
onde, todas as palavras indicavam o passado.

Naquele poema que quase chorando escrevia
só vinha na minha mente, as rimas de alegria,
o que não fazia sentido, com minha realidade.

Foram jogados fora, para na noite se evaporar,
e com elas joguei, a minha vontade de rimar,
por que minhas rimas, só falavam de saudade.

Os versos, agora todos perdidos na escuridão,
só serviram mesmo, para despertar a solidão,
rimas, quadras, palavras que não levaram a nada.

Até parece que deixaram a noite mais quieta,
são temas, que não inspiram mais o poeta,
que procura outro meio, para fugir da madrugada.

GIL DE OLIVE
Publicado no Recanto das Letras em 08/03/2009
Código do texto: T1475471

0 comentários:

 
;