domingo, 22 de março de 2009

POEIRA DA SAUDADE ( Cantilena)

Desde a minha dolescência coleciono poesias.
Esta é uma poesia que adoro. Poesia...ou...cantiga???
Prefiro usá-la como poesia.
Guardei por muitos anos e somente hoje descobri o autor.

Cantilena



Não quero mostrar-me triste
porque de mim fugireis.
Mas no fundo eu bem sou triste,
mas o fundo não vereis.

Vou cantar. Talvez cantando
coisas minhas sabereis.
Pois, se me virdes chorando,
eu bem sei que fugireis.

Vou cantando tão de manso,
que talvez nem pensareis
que por dentro vou chorando,
mas por dentro não vereis.

Vou cantando, pois cantando,
vós talvez me entendereis.

Celina Ferreira


0 comentários:

 
;