domingo, 29 de março de 2009 0 comentários

DOCES LEMBRANÇAS (Eu Queria Dizer Que Te Amo Numa Canção)

Linda...linda... essa música...sem palavras...


EU QUERIA DIZER QUE TE AMO NUMA CANÇÃO
Fernando Mendes



ESSE AMOR QUE EU TRAGO EM MIM
EU NÃO SEI SE É CERTO
ENCONTREI O MEU JARDIM
EM PLENO DESERTO

REFRÃO:
TODA VEZ QUE TENTO TE FALAR
NÃO CONTENHO MINHA EMOÇÃO
EU QUERIA DIZER QUE TE AMO NUMA CANÇÃO

JÁ NÃO POSSO CONTROLAR
ESTE SENTIMENTO
CADA DIA AUMENTA MAIS
O MEU SOFRIMENTO

REPETE REFRÃO

TEU AMOR NÃO VAI SER MEU
MESMO ASSIM TE AMO
NÃO SEI COMO ISSO ACONTECEU
MAS EU NÃO RECLAMO

REPETE REFRÃO

QUERO GRITAR O TEU NOME
ABRIR TODO MEU CORAÇÃO
QUERO MOSTRAR COMO É GRANDE A MINHA PAIXÃO
JÁ NÃO SEI MAIS O QUE FAÇO
PRA CHAMAR A SUA ATENÇÃO

EU QUERIA DIZER QUE TE AMO NUMA CANÇÃO


0 comentários

DOCES LEMBRANÇAS ( Me Esqueci de Viver )





José Augusto,cantor romântico, um dos grandes nomes da música brasileira.
Esta música me recorda a escola Polivalente,a Rádio Rio Pardo eo programa Comunicação 390...
... minha juventude...
Lindas
lembranças... bem vivas em minha memória.

Me Esqueci de Viver

De tanto correr pela vida sem rumo
Me esqueci que na vida se vive um momento
De tanto querer ser em tudo o primeiro
Esqueci de viver os detalhes pequenos
De tanto brincar com os meus sentimentos
Vivendo de aplausos, envolto em sonhos
De tanto cantar minhas canções ao vento
Já não sou como eu fui, Já não sei o que sinto
Me esqueci de viver, Me esqueci de viver
Me esqueci de viver, me esqueci de viver
De tanto cantar ao amor e a vida
Eu fiquei sem amor uma noite de um dia
De tanto brincar com eu mais queria
Eu perdi sem querer o melhor que eu tinha
De tanto ocultar a verdade com mentiras
Enganei sem saber que era eu quem perdia
De tanto esperar o que eu nunca oferecia
Hoje vivo a chorar, O que eu sempre temia
Me esqueci de viver, me esqueci de viver
Me esqueci de viver, me esqueci de viver
De tanto correr pra roubar tempo a tempo
Esquecendo até dos melhores amigos
De tanto lutar sem pensar no fracasso
Descobri sem querer, que eu vivi sem motivo
Me esqueci de viver, me esqueci de viver
Me esqueci de viver, me esqueci de viver
0 comentários

POEIRA DA SAUDADE ( Rimas da Saudade )



RIMAS DA SAUDADE

Foram rimas que só serviram para lembrar,
foram versos jogados fora, jogados no ar,
são restos de um poema que não foi terminado.

Frases que só trouxeram triste lembrança,
texto, onde não entrou a palavra esperança
onde, todas as palavras indicavam o passado.

Naquele poema que quase chorando escrevia
só vinha na minha mente, as rimas de alegria,
o que não fazia sentido, com minha realidade.

Foram jogados fora, para na noite se evaporar,
e com elas joguei, a minha vontade de rimar,
por que minhas rimas, só falavam de saudade.

Os versos, agora todos perdidos na escuridão,
só serviram mesmo, para despertar a solidão,
rimas, quadras, palavras que não levaram a nada.

Até parece que deixaram a noite mais quieta,
são temas, que não inspiram mais o poeta,
que procura outro meio, para fugir da madrugada.

GIL DE OLIVE
Publicado no Recanto das Letras em 08/03/2009
Código do texto: T1475471

domingo, 22 de março de 2009 0 comentários

POEIRA DA SAUDADE ( Cantilena)

Desde a minha dolescência coleciono poesias.
Esta é uma poesia que adoro. Poesia...ou...cantiga???
Prefiro usá-la como poesia.
Guardei por muitos anos e somente hoje descobri o autor.

Cantilena



Não quero mostrar-me triste
porque de mim fugireis.
Mas no fundo eu bem sou triste,
mas o fundo não vereis.

Vou cantar. Talvez cantando
coisas minhas sabereis.
Pois, se me virdes chorando,
eu bem sei que fugireis.

Vou cantando tão de manso,
que talvez nem pensareis
que por dentro vou chorando,
mas por dentro não vereis.

Vou cantando, pois cantando,
vós talvez me entendereis.

Celina Ferreira


domingo, 15 de março de 2009 0 comentários

DOCES LEMBRANÇAS ( Primeiro Amor )

Linda música que fala do amor de infância. Mas... daquele tempo em que até os meninos eram
românticos e sabiam respeitar as meninas.

Primeiro Amor
José Augusto

Foi numa festa outro dia
Que eu te encontrei a dançar
Namoradinha de infância
Sonhos da beira do mar
Você me olhou de repente
Fingiu que tinha esquecido
E com um sorriso sem graça
Me apresentou ao marido

Refrão
E o resto da noite dançou pra valer
Se teus olhos me olharam fingiram não ver
No meu canto eu fiquei entre o riso e a dor
Lembrando meu primeiro amor

Pra me beijar precisava
Ficar na ponta dos pés
Eu tinha então oito anos
Mas te menti que eram dez
Lembro você orgulhosa
Da minha calça comprida
Vínhamos juntos da escola
Sem qualquer medo da vida

Refrão

Sábado tinha dinheiro
Pra te levar ao cinema
Onde com medo pegava
Tua mãozinha pequena
Nossos castelos de areia
Sonhos perdidos no ar
Jogo de bola de meia
E um refrigerante no bar

Refrão (2x)

La-ra-la-la-ra...
0 comentários

Poeira da Saudade (Menina Triste)

Do livro 4 Mulheres a poesia:

Menina Triste
(Foto; arquivo pessoal)
O vento bate em meu rosto,
despenteando meus cabelos.

Pés descalços pelo chão,
canto cantigas de roda
com gosto bom de saudade.

Sou criança, novamente.
Posso rir, posso chorar.

Abro meus braços e abraço,
num gesto de faz de conta,
este minuto encantado
que traz de volta a criança
de cabelos despenteados,
pés descalços pelo chão,
cantando canções de roda
com gosto bom de saudade...

Mas, será que foi agora,
neste momento esquecido,
nesta ternura sofrida
que minha infância eu perdi?

Ou, se foi com a boneca
despedaçada, num canto,
que a criança tão alegre
menina-triste ficou?

Menina-triste escondida,
buscando a estrela perdida
de um sonho que não voltou

Clara Haag Kipper


domingo, 8 de março de 2009 0 comentários

DOCES LEMBRANÇAS ( Mulher - Erasmo Carlos)



Para um dia especial nada como essa música do Erasmo Carlos.
Linda!!!

Mulher

Erasmo Carlos

Composição: Erasmocarlos - Narinha

Dizem que a mulher
É o sexo frágil
Mas que mentira
Absurda!
Eu que faço parte
Da rotina de uma delas
Sei que a força
Está com elas...

Vejam como é forte
A que eu conheço
Sua sapiência
Não tem preço
Satisfaz meu ego
Se fingindo submissa
Mas no fundo
Me enfeitiça...

Quando eu chego em casa
À noitinha
Quero uma mulher só minha
Mas prá quem deu luz
Não tem mais jeito
Porque um filho
Quer seu peito...

O outro já reclama
A sua mão
E o outro quer o amor
Que ela tiver
Quatro homens
Dependentes e carentes
Da força da mulher...

Mulher! Mulher!
Do barro
De que você foi gerada
Me veio inspiração
Prá decantar você
Nessa canção...

Mulher! Mulher!
Na escola
Em que você foi
Ensinada
Jamais tirei um 10
Sou forte
Mas não chego
Aos seus pés...


sábado, 7 de março de 2009 0 comentários

POEIRA DA SAUDADE (Mulher)

Foto: Arquivo pessoal (Minha MÃE)
Mulher, o mais perfeito dos seres...
Uma dádiva do Criador.
Mulher de inúmeros saberes,
És a tradução perfeita do amor.

Mulher de luas e de fases
Que está sempre a se reinventar
Mulher moderna ou rainha dos lares
Deveríamos a ti sempre, adorar.

Mulher de todas as raças
Que encanta com ternura e carinho
Bela, cheirosa e cheia de graça
És a mais linda rosa em meio aos espinhos.

Mulher, uma caixinha de surpresas...
Um tocar de sinos, uma linda canção.
Comove pela delicadeza
Conquista pela emoção.

Mulher que hoje lidera empresas
E ocupa os cargos do mais alto escalão
És dona de inúmeras proezas
Das dores do mundo e do coração.

Mulher que conquista mas sabe cuidar
Envolve e se deixa envolver.
Mulher é a maçã no topo da árvore
Pronta para ser colhida
Mulher é a geradora da vida
A dona de todo o poder.

Mulher de imensurável força
Mulher que sabe o que quer,
Independente dos anos e das rugas...
ès uma eterna menina-mulher!

(Tainá Bücker)

domingo, 1 de março de 2009 0 comentários

DOCES LEMBRANÇAS ( O Portão)


Linda música do Roberto Carlos. Quem não gostaria de voltar em algum lugar, época de sua vida ou até mesmo em algum sonho? Eu gostaria de voltar a tudo isso. Não pensem que sou infeliz e vivo presa ao meu passado. Não... Fui e sou muito feliz e recordar tudo aquilo me faz um bem enorme. Recordar para matar as saudades de um tempo bom é algo positivo. Recordar para fugir do presente é algo negativo. Eu...simplesmente gosto de recordar.

O Portão

Roberto Carlos

Eu cheguei em frente ao portão,
meu cachorro me sorriu latindo
Minhas malas coloquei no chão,
eu voltei T
udo estava igual como era antes,
quase nada se modificou
Acho que só eu mesmo mudei, e voltei ...
Eu voltei, agora pra ficar,
porque aqui,
aqui é o meu lugar
Eu voltei pras coisas que eu deixei,
eu voltei ...
Fui abrindo a porta devagar,
mas deixei a luz entrar primeiro
Todo meu passado iluminei, e entrei ...
Meu retrato ainda na parede,
meio amarelado pelo tempo
Como a perguntar por onde andei
e eu falei ...
Onde andei não deu para ficar,
porque aqui, aqui é o meu lugar
Eu voltei pras coisas que eu deixei,
eu voltei ....
Sem saber depois de tanto tempo
se havia alguém a minha espera
Passos indecisos caminhei
e parei
Quando vi que dois braços abertos,
me abraçaram como antigamente
Tanto quis dizer e não falei
e chorei ....
Eu voltei, agora pra ficar
porque aqui,
aqui é o meu lugar

Foto: Arquivo pessoal
0 comentários

POEIRA DA SAUDADE ( Retrato Antigo)


Do site Meu Cantinho copiei esta poesia que fala das lembranças do passado.

Retrato Antigo

(Raquel Caminha)

As lembranças do passado,
sonhos fantasiados,
reflexos de uma vida feliz.
Em uma foto são retratados,
uma fotografia antiga,
reporta reminiscências,
manchas vivas as lembranças,
retrata nossas vivências.
Ela reproduz cenários,
traz para o nosso ambiente,
datas marcadas em calendários,
e apesar de desbotadas,
sublima o amor da gente.
Ela transmite a sinceridade,
a pureza e a lealdade,
de tempos marcados por bondade.
Os rostos refletem,
as asperezas da vida,
as incertezas do amanhã,
e o ardor de cada lida.
São recordações valiosas,
que a gente guarda no peito,
de amizades, amores,que passaram,
e não voltam, não há jeito.

 
;