domingo, 21 de dezembro de 2008

POEIRA DA SAUDADE (ENTÃO É NATAL)

Outro poeta do RECANTO DAS LETRAS


ENTÃO É NATAL


Renasce o sonho da humanidade
No olhar feliz de tantas crianças
Olhares cheios de mil esperanças
De paz, de amor e de igualdade.


Reacende-se no peito a lembrança
Da estrela brilhante na antiguidade
Guiando a Belém, pequena cidade,
E ao petiz das bem-aventuranças.


Então é natal, bimbalham os sinos,
Um coro angelical saúda o menino
Vem de lá um cortejo de pastores
Vindo louvar ao príncipe da paz.
E o milagre outra vez se faz
Tingindo o Natal de eternas cores.
Jorge Linhaça

0 comentários:

 
;